jueves, 6 de septiembre de 2007

Perfect!


Eu nunca gostei muito de videogame. Na realidade eu não gostava porque quase nunca ganhava. Mas mesmo assim eu tentei um tempo, só pra ver se conseguiria pegar prática e jeito, mas parece que não funcionou. Até hoje eu ainda apanho muito nos games. Eu já joguei em Atari, Master System, Nintendo. Peguei a época em que se jogava nos fliperamas, e não nas lan houses.
Naquela época um dos jogos que eu mais gostava era o Mortal Kombat. Esse era um jogo de luta, onde se escolhia um combatente e lutava com uma série de oponentes até chegar ao mais forte de todos. Era bom porque me dava a possibilidade de ganhar pequenos combates, o que dava uma sensação de que eu estava evoluindo. Pelo menos momentaneamente me sentia bem-sucedido. Mas nesse jogo uma das coisas eu mais gostava, nem tanto pela vitória em si, mas pelo prazer que dava, era ganhar um round sem levar um golpe sequer do oponente. No final aparecia a qualificação do round: Perfect! Ganhar assim era o máximo, perder assim era terrível.
Mais do que ganhar, todos queriam ganhar com excelência. Usando todos os poderes, conhecendo todos os truques, usando o máximo do potencial dos personagens para poder chegar o mais longe possível. Eu poderia até perder nas próximas lutas, mas ter um perfect, já era em si uma vitória.
Ninguém duvida que a vida cristã também é uma luta. É uma luta constante. Não é uma luta virtual como dos jogos, ela é real, assim como suas vitórias e derrotas. Ela implica em constante atenção e dedicação. Na vida cristã, assim como no Mortal Kombat somos exortados a buscar o perfect! Parece estranho, mas é verdade, em Mateus 5.48 Jesus nos diz “Sejam perfeitos, como perfeito é o Pai Celestial de vocês”.
Mas o que significa ser perfeito? Na nossa sociedade tornou-se popular a expressão “ninguém é perfeito”, e escondemos nesta expressão o desejo de ouvir apenas o nosso coração pecador e não a voz de Deus, é como diz uma música do Charlie Brown Jr. “Eu não tento ser perfeito e acho que você também”. Isso porque temos consciência de que erramos muitas vezes, contra Deus e contra as pessoas, e até contra nós mesmos. Nós sabemos que não somos perfeitos!
Então como podemos obedecer a ordem de Jesus? Como podemos ser perfeitos? Na realidade não podemos imaginar que estamos livres do pecar. Vez ou outra caímos e falhamos, mas podemos entender o que Jesus disse através do que Paulo explicou em Filipenses 3.12-14, dizendo Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. 13 Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, 14 prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
Paulo sabia que ele era um pecador, que ele ainda não tinha alcançado a perfeição, mas ele tinha um alvo. Ele vivia com os olhos direcionados ao que é perfeito. Ele cria na Palavra de Deus e no estilo de vida que ela pregava e se dedicava para viver o mais perto possível da perfeição. Ele mostrou que a vida cristã é uma constante luta contra o pecado, onde devemos nos dedicar ao máximo para sermos cada vez mais parecidos com o nosso Pai.
Quando Jesus diz que devemos ser perfeitos ele estava nos mostrando um caminho. Ele estava apontando a direção que devemos seguir. Ele vinha falando do cumprimento da lei de Moisés, mostrando que cumprir a lei é mais do que religiosidade, é mais do que participar de programações e atividades da igreja, é adotar um estilo de vida que imita o Pai, um estilo de vida que quer ser perfeito, que se entrega ao máximo para ganhar o round sem levar nenhum golpe. No videogame, é inevitável levar alguns golpes contrários no transcorrer das lutas. Na caminhada cristã, também não podemos negar nossos erros, mas mesmo errando caminhamos em direção ao alvo, com essa mesma determinação, querendo sempre alcançar o perfect!


No hay comentarios:

Publicar un comentario